quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Padres Vicentinos têm novo Provincial
Em Julho passado, na Assembleia Geral, em Chicago - EUA, a Congregação da Missão elegeu um novo Superior geral, o Padre Tomaž Mavrič.
Agora, porque o P. Álvaro António Esteves da Cunha termina o 2 º mandato de Superior Provincial (Visitador) da Província Portuguesa da Congregação da Missão, no próximo dia 30 de Setembro, foi eleito para lhe suceder neste serviço de animação, o P. José Augusto Gonçalves Alves.
O P. José Alves, como é mais conhecido, tem 70 anos de idade e quase 46 anos de presbítero. É natural da freguesia da Esperança, concelho de Póvoa de Lanhoso. Actualmente é superior da Comunidade vicentina do Seminário de S. José – Felgueiras e é o Animador e coordenador das actividades do Centro Vicentino de Evangelização (CVE) que funciona no mesmo edifício. É membro do actual Conselho Provincial.
Como sacerdote vicentino, esteve em Moçambique e, depois de regressar, estudou na UCP-Lisboa, foi o responsável pela animação vocacional, fez missões populares, trabalhou com religiosos e religiosas, sendo colocado posteriormente na Comunidade da Luz, assumindo o múnus de pároco. Além das tarefas pastorais e comunitárias, construiu, com a comunidade paroquial, o edifício da nova igreja da paróquia de S. Tomás de Aquino, inaugurada e benzida em 21 de Abril de 1996.
Depois de muitos anos a trabalhar no Patriarcado, de 2004 a 2010, o P. José Alves, exerceu o serviço de Visitador para o qual foi eleito novamente. Após a cessação de funções naquela data, o P. Alves rumou a Chaves, sendo superior daquela comunidade vicentina e pároco das paróquias da Madalena (cidade), de Eiras e Samaiões.

Após a passagem de testemunho, o P. José Alves, regressará a Lisboa, para a Casa Provincial dos Padres Vicentinos, instalada desde Julho de 2015, na Estrada da Luz..

domingo, 4 de setembro de 2016


Nos dias 17 e 18 de setembro, realizam-se em Fátima as Jornadas Missionárias 2016, subordinadas ao temaMissão Com Histórias de Misericórdia.
As Jornadas continuam o seu objectivo geral de descobrir, aprofundar e traçar novos caminhos de evangelização a partir de Cristo, focando-se este ano, de um modo particular, no incitamento do Papa Francisco a que olhemos "a missão ad gentes como uma grande, imensa obra de misericórdia quer espiritual quer material" (Mensagem para o Dia Mundial das Missões 2016). "Com efeito", continua o Papa, "todos somos convidados a «sair», como discípulos missionários, pondo cada um a render os seus talentos, a sua criatividade, a sua sabedoria e experiência para levar a mensagem da ternura e compaixão de Deus à família humana inteira."
As Jornadas Missionárias iniciam-se no dia 17 com a intervenção de D. Manuel Linda e o painel constituído pelo Pe. José Vieira, que esteve sete anos no Sudão, o Pe. Adelino Ascenso, dezasseis anos no Japão, e Luís Ventura Fernandez, nove anos na Amazónia. Durante a tarde, os participantes poderão percorrer seis "Tendas de Missão", onde se realizarão seis workshops em simultâneo, um deles - Misericórdia e Voluntariado - dinamizado pelo Grupo Missionário Ondjoyetu. Depois terá lugar um plenário, seguido da celebração da Santíssima Eucaristia. À noite, às 21h30, na Capelinha das Aparições, os missionários e todos os que se queiram juntar são convidados a participar no Terço e Procissão de Velas.
No segundo dia, a 18, teremos o testemunho da Irmã Myri, monja contemplativa portuguesa que pertence à Congregação das Monjas da Unidade de Antioquia e que vive actualmente no Mosteiro de São Tiago Mutilado, em Qara, a 90 quilómetros de Damasco, na Síria. Às 11h00, será celebrada no santuário a Eucaristia Dominical. À tarde, a partir das 15h00, teremos a intervenção de D. José Aguirre, bispo de Bangassou, diocese da República Centro Africana.
"É nos Evangelhos que o missionário descobre como agir à maneira de Jesus. Ele vê como Jesus se aproxima das pessoas, caminha com elas, ouve-as, faz-lhes perguntas, ensina-as com paciência, trata-as com ternura, mostra-lhes a sua misericórdia com gestos de amor, libertando-as de todo o mal.” 
Pe. António Lopes, SVD (Director Nacional OMP)
A organização do evento é da responsabilidade
da Comissão Episcopal de Missões,
Obras Missionárias Pontifícias e CIRP.

Marca já na tua agenda! Participa!
Data limite de inscrições: 09 de Setembro

domingo, 7 de agosto de 2016


Faleceu o Pe Nóbrega

O Padre Manuel Tolentino Quintal Nóbrega nasceu em Gaula (Madeira) no dia 9 dezembro de 1937 e, aos 10 anos veio para o Continente para estudar nos Seminários dos Padres Vicentinos. Entrou em S. José em Felgueiras tendo frequentado depois Os Seminários de Pombeiro, Límpias (Espanha) onde fez o Seminário Internos e Mafra.
Foi ordenado sacerdote a 22 de julho de 1962 no Mosteiro de Pombeiro, celebrou Missa Nova a 12 agosto na sua paróquia natal.
Licenciou-se em Psicologia Educacional no ISPA e exerceu a sua actividade pastoral em Mafra, como professor, em S. Tomás de Aquino, Lisboa, tendo sido o primeiro pároco e também em Salvaterra de Magos.     
Ao longo de 6 anos serviu a Congregação da Missão como Visitador (Provincial). Durante vários anos foi Diretor da Filhas da Caridade e esteve na origem da JMV em Portugal, tendo sido o primeiro Assessor. A ele se deve também muito do trabalho da colaboração entre os vários Ramos da Família Vicentina em Portugal, devendo-se a ele o grupo dos Colaboradores da Missão Vicentina.
Dedicou-se ao trabalho missionário, a grupos de reflexão, a retiros com leigos e religiosos (as)…
Nestes últimos 3 meses o cancro no fígado começou a tomar conta dele, tendo começado a fazer quimioterapia e no dia 27 de julho teve de ficar internado no IPO, onde faleceu este Domingo. O funeral realiza-se amanhã dia 8 de agosto, às 14h na Igreja Paroquial de S. Tomás de Aquino, Lisboa, indo a sepultar no Jazigo da Congregação da Missão no Cemitério dos Prazeres.
A sua serenidade e paz o acompanharam, até ao momento em que se encontrou com o Pai do Céu em dia de Domingo. Fica a alegria da sua vocação e do seu serviço à Congregação e à Igreja e a sua interpelação a vivermos a nossa vida com uma atitude positiva e com o olhar fixo no alto, em Deus, para onde nos levam, como ele dizia, “as asas da misericórdia divina”!

Pe Álvaro Cunha, CM


quarta-feira, 6 de julho de 2016

Padre Tomaž Mavrič: novo sucessor de São Vicente
Na sala magna, reunidos os 113 delegados, sustentados pela comunhão espiritual de tantos irmãos e irmãs espalhados pelo mundo, foi invocado o Espírito Santo e procedeu-se à eleição do novo sucessor de São Vicente para os próximos seis anos. Depois do terceiro escrutínio, a Assembleia Geral acolheu a novidade do Espírito na pessoa do Padre Tomaž Mavrič, atual Vice-Visitador da Vice-Província de São Cirilo e São Metódio, que compreende três países Ucrânia, Rússia e Bielorrússia.
O que sabemos a respeito de sua trajetória é ainda muito pouco. Nasceu no dia 9 de maio de 1959, em Buenos Aires (Argentina), filho de migrantes eslovenos. Foi admitido à Congregação da Missão a 11 de dezembro de 1976, emitiu os Votos Perpétuos no dia 8 de abril de 1982 e foi ordenado presbítero em 29 de junho de 1983. Tendo passado por vários países (Canadá, Eslovénia, Rússia, Irlanda, Eslováquia e Ucrânia, onde residia até agora), possui ampla experiência ministerial: missão entre os pobres, pastoral paroquial, orientação de retiros, animação vocacional, formação do clero, governo provincial, etc. Conhece várias línguas: espanhol, russo, inglês e esloveno.
Agora, o Padre Mavrič é 25º Superior Geral da Congregação da Missão (CM) e da Companhia das Filhas da Caridade (FC), legitimamente escolhido na 42ª Assembleia. O novo sucessor de São Vicente de Paulo, foi acolhido por todos os presentes com espírito de fé e de gratidão sincera. Depois da imposição das mãos e da instalação neste Serviço, os Assembleístas, num abraço fraterno, prestaram obediência e ofereceram a sua colaboração, assegurando ao P. Tomaž Mavrič a sua proximidade espiritual.
Entretanto, a Assembleia Geral que começou a 27 de Junho e se prolonga até 15 de Julho, vai fazer a escolha do Conselho Geral e continua a reflexão tendo como tema: ‘400 anos de fidelidade ao seu carisma e à Nova Evangelização’.
5 de Julho de 2016 – Chicago - EUA.
P. Agostinho Sousa, CM

sexta-feira, 24 de junho de 2016

‘A CM: 400 anos de fidelidade ao seu carisma e à Nova Evangelização’

De 27 de Junho a 15 de Julho de 2016 decorre em Chicago- EUA, a 42ª Assembleia Geral da Congregação da Missão. Será a 1ª vez que uma Assembleia Geral tem lugar fora da Europa. Nela será eleito um novo Superior Geral para o próximo sexénio.
Como que a anunciar e a celebrar o 4º centenário do carisma (1617-2017 – 25 de Janeiro), o tema da Assembleia Geral é: ‘400 anos de fidelidade ao seu carisma e à Nova Evangelização’.

Este é um tempo de compromissos que permitam levar por diante o sempre atual Carisma do fundador S. Vicente de Paulo. A Província Portuguesa da Congregação da Missão está representada neste ‘Conventus Generalis’ pelo seu Visitador, P. Álvaro Cunha e pelo P. Nélio Pita, pároco de S. Tomás de Aquino.

terça-feira, 7 de junho de 2016

Missão Popular na paróquia de S. Martinho de Bornes
(Pedras Salgadas)

Aconteceu em modelo diferente do habitual. Realizou-se em tempos distintos: Quaresma e Páscoa.
De 14 a 20 de Março, integrada na semana das Pregações Quaresmais, foi vivida a 1ª semana da Missão.

Pregação e visita aos doentes e pessoas de idade
Os padres Álvaro e Fernando (CM) passaram pelas aldeias (9) que constituem a paróquia de S. Martinho de Bornes: Lagoa, Lagobom, Valugas, Tinhela de Cima, Tinhela de Baixo, Bornes, Vila Meã, Rebordochão e Pedras Salgadas.
Nas visitas aos doentes e idosos, em casa, nos lares ou em centros de dia, viveram-se momentos de muita alegria, devido á presença dos Missionários. Alguns aproveitaram a oportunidade para receber os sacramentos da reconciliação e da unção dos doentes.  
Na Igreja de Nossa Senhora de Lurdes, nas Pedras Salgadas, devido à sua localização mais central, realizaram-se as celebrações temáticas. A apresentação dos símbolos, os gestos de cada celebração, tocou profundamente coração e a alma daquela comunidade que, apesar da distância, sentia a desejo de se comprometer com a sua paróquia, com a Igreja.
Durante esse tempo foi feito o convite à participação na 2ª semana da Missão.

Animadores e equipa missionária enviados
Esta teve início no dia 15 de Maio, na Solenidade do Pentecostes, com a Missa do Envio e prolongou-se até ao dia 21 de Maio. Revestidos pela força do Espírito Santo e cumprindo o mandato de Jesus, “Assim como o Pai Me enviou, também Eu vos envio a vós”, os animadores e a equipa missionária também foram enviados a levar a Boa Nova ao coração de todos, dando continuidade a tudo o que Jesus fez enquanto estava neste mundo e continua a fazer através de nós, que hoje somos a sua Igreja.
A equipa missionária era constituída pelo Pe. Álvaro Cunha, CM, o Alexandre (seminarista – Vila das Aves) e a Célia (CMV – Órgens - Viseu).
Durante a semana visitamos todas as aldeias e, por ser o mês de Maria, tivemos a oportunidade de com eles rezar o Terço do Rosário. Seguia-se a apresentação do Tema proposto para o encontro da Comunidade e a finalizar a celebração da Eucaristia. Convivemos com gente simples, humilde, porém de grande fé e piedade, e pudemos constatar que as práticas religiosas ainda se mantêm vivas.

Jovens e crianças
No Sábado à tarde foi o encontro com as crianças, adolescentes e jovens da catequese.
Repartidos em 2 grupos – do 1º ao 5º ano e do 6º ao 10º ano - reuniram-se no Centro Social Nossa Senhora de Lurdes, gerido pela Congregação das Irmãs Concepcionistas ao Serviço dos Pobres, e no Salão Paroquial. Falou-se da Missão Popular e da sua importância na vida da comunidade e da Igreja, da qual fazem parte desde o dia do Batismo. Porque a Igreja necessita de gente jovem para se tornar mais alegre, com mais vida e vigor, foi lançado um desafio que cada um poderia assumir na Paróquia de S. Martinho, em consequência da Missão.
Sensibilizaram-se para a importância da participação nos sacramentos, principalmente da Eucaristia e da Reconciliação.
Com a Procissão de Velas e a Eucaristia, no sábado à noite, encerrou-se esta segunda semana da Missão.

Comunidade e unidade paroquial
Cada lugar foi convidado a trazer um símbolo (típico do lugar) que, em momento próprio da Eucaristia, apresentou à comunidade. Todas as aldeias se fizeram representar e na diversidade dos símbolos oferecidos demonstraram a unidade paroquial.
A Igreja Paroquial estava repleta de gente, destacando-se a presença do agrupamento do CNE daquela paróquia.
A semana que passamos uns e outros em Missão é tão rica em amizade, alegria e oração que nos dá força para continuarmos firmes nesta tarefa de levar Cristo às pessoas, pois é esse o projeto de Deus na nossa vida, apesar de todos os obstáculos que são postos no nosso caminho.
A nossa gratidão ao Rev. Pároco Pe. Manuel Machado, à Martinha, que nos acolheu, à Congregação das Irmãs Concepcionistas e também a todas as famílias com quem partilhamos as refeições. Esperamos que a semente lançada na Missão Popular com a presença e a força do Espírito Santo possam germinar, crescer e dar frutos na Paróquia de S. Martinho de Bornes.

 A equipa missionária

terça-feira, 31 de maio de 2016

TESTEMUNHO


“Desperta, ó tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e Cristo te iluminará” (Ef5,14)

Acolhemos em nossa casa durante 15 dias, três missionários: o padre Fernando, a irmã Zulmira e a Henriqueta, pertencentes à congregação Vicentina.


Estávamos expectantes e ao mesmo tempo apreensivos, pois íamos receber três pessoas desconhecidas, embora enviadas. Íamos partilhar o nosso lar, as nossas rotinas, as nossas vivências, em suma a nossa vida; porém a simplicidade, a alegria, o espírito aberto, a simpatia, a gratuidade e disponibilidade dos missionários nos contagiaram. Vinham realmente com a única missão de nos despertar para a nossa condição de crentes, muitas vezes adormecidos e embalados pelas facilidades do comodismo e consumismo.

Partilhámos as nossas dificuldades e problemas enquanto casal e a nossa participação na comunidade, muitas vezes a desoras mas em amenas e construtivas conversas de família. 

Fortalecemos durante este período a necessidade da oração diária, a importância vital da eucaristia e o compromisso comunitário através de catequeses bem direccionadas.

Fomos alertados por diversas vezes para os perigos do cristão consumidor, cristão cliente em vez do cristão crente.

Todos os temas nos ajudaram ao amadurecimento da fé, alertando-nos para o cuidado a ter com o outro, passando do “eu “ ao “nós” respeitando-o e incentivando-o. Destacaríamos a Eucaristia com o renovar das promessas matrimoniais, a temática da água e o encontro sempre gratificante e imprevisível com as crianças da catequese.



A semente foi lançada, o incentivo foi constante, compete agora a cada um e a nós como casal e através da nossa vivência testemunhal, potenciar e fazer levantar aqueles que desanimados, cansados, desiludidos, não acolhidos ou acomodados queiram fazer parte desta pequena comunidade cristã com a constante e indispensável ajuda do Senhor.

Como casal e em casal queremos bendizer ao Senhor por mais esta graça e que Ele nos ilumine constantemente e que faça crescer em nós o desejo de O amar e O dar a conhecer, não só para nossa realização mas para sermos instrumentos do Seu amor no seio da comunidade.

Muito agradecidos Sr. Padre Fernando, Irmã Zulmira e Henriqueta pela vossa presença, apoio e orientações.

Contámos com as vossas orações. Saudações em Cristo.


Brás e Manuela – Vale da Pedra